ECONOMIA / 05.11.18

Projeção para inflação em 2018 cai para 4,40%, aponta Focus

VALOR ECONÔMICO

A mediana das projeções dos economistas do mercado para a inflação oficial em 2018 voltou a cair, agora de 4,43% para 4,40%, mostra a pesquisa semanal Focus, do Banco Central (BC), divulgada nesta segunda-feira. Para 2019, o ponto-médio das expectativas para a alta do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) manteve-se em 4,22%. Para os próximos 12 meses, a estimativa saiu de 3,93% para 3,91% de aumento.

Entre os economistas que mais acertam as previsões, os chamados Top 5, de médio prazo, a mediana para a inflação oficial de 2018 passou de 4,50% para 4,28% e de 3,97% para 3,82% em 2019. Câmbio A mediana das projeções para o dólar no fim de 2018 entre os economistas Top 5, de médio prazo, voltou a cair, agora de R$ 3,80 para R$ 3,73 no fim de 2018.

No caso do próximo ano, no entanto, foi elevada de R$ 3,59 para R$ 3,75 no de 2019 nesse mesmo seleto grupo. Entre os economistas do mercado em geral, o ponto-médio das apostas caiu de R$ 3,71 para R$ 3,70 no encerramento de 2018 e permaneceu em R$ 3,80 no de 2019. Selic As medianas das estimativas para a taxa básica de juros não sofreram alterações entre os economistas em geral: ficaram em 6,50% no fim deste ano (pela 24ª semana consecutiva) e 8% no próximo calendário, patamar em que já está há 43 semanas agora.

Entre os Top 5 de médio prazo, o ponto-médio para a Selic no encerramento de 2018 ficou em 6,50% pela 25ª semana seguida e caiu dos 7,88% da semana passada para 7,50% em 2019. PIB A mediana das projeções do mercado para o crescimento da economia em 2018 seguiu em 1,36%.

As estimativas para a evolução do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano tiveram interrompida na semana passada a trajetória de queda quase ininterrupta que vinha desde o fim de fevereiro, quando a mediana do mercado atingiu um auge de 2,92% no Sistema de Expectativas de Mercado do Banco Central, que dá origem ao boletim Focus. Para 2019, o ponto-médio das estimativas também ficou estacionado, em 2,50%. No fim deste mês, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga as Contas Nacionais Trimestrais relativas ao terceiro trimestre do ano, com a variação do PIB no período.

No segundo trimestre, a economia brasileira cresceu 0,2% em comparação aos três primeiros meses do ano, acima da média apurada pelo Valor Data junto a 22 consultorias e instituições financeiras, que apontava para alta de 0,1%. O dado do primeiro trimestre foi revisado de um crescimento de 0,4% para um modesto 0,1%.

O Banco Central reduziu de 1,6% para 1,4% a projeção para o avanço do PIB em 2018 em seu Relatório de Inflação (RI) do terceiro trimestre, divulgado no fim de setembro. A autoridade monetária também informou que estima que a economia brasileira cresça 2,4% em 2019, em sua primeira estimativa oficial para o próximo ano.