ECONOMIA / 09.07.18

Mercado eleva projeção para inflação neste ano pela 8ª vez seguida

VALOR ECONÔMICO

A mediana das projeções dos economistas do mercado para a inflação oficial em 2018 subiu de 4,03% para 4,17%, conforme a pesquisa semanal Focus, divulgada nesta segunda-feira pelo Banco Central (BC). Foi a oitava elevação consecutiva para a estimativa. No caso de 2019, a previsão para o aumento no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) permaneceu em 4,10%.

Para os próximos 12 meses, a estimativa saiu de 4,02% para 3,80% de avanço entre uma semana e outra. Entre os economistas que mais acertam as previsões, os chamados Top 5, de médio prazo, a mediana para a inflação de 2018 subiu de 3,83% para 4,10% e se manteve em 4% para 2019.

Na sexta-feira passada, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA acelerou para 1,26% em junho, de 0,40% em maio, pressionado pela paralisação dos caminheiros e pelo aumento da conta de luz. Foi a maior alta de preços para um mês de junho desde 1995 (2,26%). O forte avanço fez o índice acumulado em 12 meses saltar de 2,86% para 4,39%.

As estimativas para a taxa básica de juros, Selic, no fim deste ano não sofreram alterações: ficaram em 6,50% tanto entre os economistas em geral quanto entre os Top 5 de médio prazo. Para 2019, a mediana foi mantida em 8% entre os economistas em geral e teve um novo ajuste para baixo entre os que mais acertam as previsões no médio prazo, de 7,88% para 7,75%.

PIB

A mediana das projeções do mercado para o crescimento da economia em 2018 foi revisada para baixo, de 1,55% para 1,53%. No caso de 2019, a estimativa para o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) se manteve em 2,50% de avanço, depois de quatro semanas seguidas de cortes. No fim de maio, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a economia brasileira cresceu 0,4% no primeiro trimestre contra os três últimos meses de 2017.

 

Economistas Top 5 esperam dólar a R$ 3,55 no fim de 2018

Os economistas que mais acertam as previsões, os chamados Top 5, de médio prazo, decidiram cortar suas apostas para o dólar no fim de 2018 de R$ 3,60 para R$ 3,55, segundo a mediana das estimativas informada na pesquisa Focus, do Banco Central (BC), divulgada nesta segunda-feira.

Para o término de 2019, a estimativa desse grupo também recuou, de R$ 3,63 para R$ 3,60 entre uma pesquisa e outra. Entre os economistas do mercado em geral, as apostas permaneceram em dólar a R$ 3,70 no encerramento deste ano e a R$ 3,60 no fechamento do próximo calendário.