ECONOMIA / 01.12.17

Economia brasileira cresce 0,1% no terceiro trimestre, aponta IBGE

VALOR ECONÔMICO

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,1% no terceiro trimestre deste ano, em relação aos três meses anteriores, feitos os ajustes sazonais, de acordo com o resultado das Contas Nacionais divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No segundo trimestre, a economia brasileira avançou 0,7%, em vez de 0,2%, conforme revisão da entidade. O resultado do período de julho a setembro ficou abaixo da média apurada pelo Valor Data junto a 26 consultorias e instituições financeiras, que apontava crescimento de 0,3%.

O intervalo das estimativas ia de estabilidade a alta de 0,9%. Ante o terceiro trimestre de 2016, a economia brasileira apresentou expansão de 1,4%. A média das estimativas do Valor Data apontava crescimento de 1,3%, com intervalo entre alta de 1% e 1,9%.

Oferta

Pelo lado da oferta, a indústria registrou crescimento de 0,8% entre o segundo e o terceiro trimestre. A expectativa era de alta de 1%, conforme os consultados pelo Valor Data. O setor de serviços teve expansão de 0,6% no período, em linha com a estimativa. Já a agropecuária encolheu 3%, menos do que o esperado, que era baixa de 4,5%.

Demanda

Pelo lado da demanda, o consumo das famílias cresceu 1,2% no terceiro trimestre deste ano, perante os três meses antecedentes. A demanda do governo diminuiu 0,2% e a formação bruta de capital fixo (FBCF, medida das contas nacionais do que se investe em máquinas, construção civil e pesquisa) subiu 1,6% entre julho e setembro, na comparação com abril a junho.

Analistas consultados pelo Valor Data estimavam alta de 0,3% para o consumo das famílias, de 0,4% para os gastos do governo e elevação de 1,5% para a formação bruta de capital fixo. Por fim, a taxa de investimento atingiu 16,1% do PIB no terceiro trimestre do ano. Setor externo As exportações cresceram 4,1% no terceiro trimestre, enquanto as importações tiveram alta de 6,6% em relação aos três meses anteriores. A expectativa do mercado era de aumento de 2,9% e de 4,4%, respectivamente.

Revisões

O IBGE revisou o desempenho do PIB em 2016, de queda de 3,6% para recuo de 3,5% após a divulgação dos dados do Sistema de Contas Nacionais no começo de novembro, quando a retração econômica apurada em 2015 foi alterada de 3,8% para 3,5%.

 

Compartilhe