ECONOMIA / 11.01.19

Cintra descarta CPMF no lugar da desoneração

VALOR ECONÔMICO

O secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, disse ontem que ainda avalia com que tributo compensará a desoneração da folha de pagamento que o governo Jair Bolsonaro trata como prioridade.

Ele disse, no entanto, que a volta da CPMF está descartada, por ser "a antítese de tudo aquilo que nós desejamos fazer". "A primeira preocupação minha é o encargo sobre folhas. Ele pode ser substituído por [tributação sobre] faturamento de empresas, sobre tributação adicional sobre outras bases, inclusive sobre tributos indiretos", disse Cintra, à entrada de uma reunião com o ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União (TCU).

"Há uma gama de alternativas que precisam ser comparadas", afirmou o secretário. "Sempre com a meta de não aumentar a carga tributária e gerar mais empregos." Cintra foi questionado sobre a promessa de campanha de Bolsonaro de zerar a alíquota do Imposto de Renda para quem ganha até R$ 5 mil. Disse que essa reforma está em sua pauta, mas "não é ainda uma prioridade imediata".